Home Palavra do Presidente Sindicatos Filiados Fale Conosco
a
a

facebook  slideshare  twitter  youtube  

 

 

 

 

 

Você é nosso
visitante nº.:

Sustentabilidade

12/05/2011 - Atividades Verdes nas Empresas

ATITUDES VERDES NAS EMPRESAS

Cada vez mais preocupadas com o meio ambiente, com as condições deixadas para as gerações futuras e com as exigências do mercado, as empresas vêm a cada dia adequando seu modo de produção ao novo modelo de desenvolvimento: o da sustentabilidade.

A palavra "SUSTENTABILIDADE" é comumente usada no dia a dia das empresas e, na maioria das vezes, estas divulgam seus projetos socioambientais e iniciativas "VERDES" utilizados na condução de seus negócios, como forma de adequação a este novo modelo.

O que se verifica, entretanto, é que com frequência o conceito é vendido de forma simplista, focado na divulgação de ações pontuais que não garantem, de fato, a sustentabilidade em seus três pilares fundamentais: econômico, ambiental e social.

O conceito para ser, de fato, incorporado por completo deve estar enraizado na cultura da empresa, sendo aplicado de forma transversal, ou seja, de forma a disseminá-lo em todas as tomadas de decisão, principalmente e, fundamentalmente, na gestão.

É importante que haja coerência entre as ações voltadas à sustentabilidade com os resultados financeiros auferidos, ou seja, a gestão deve também ser sustentável para não comprometer o exercício das atividades.

Gerar lucro é fundamental para garantir a sobrevivencia dos negócios e até mesmo para permitir frequentes investimentos em minimização de impactos causados no decorrer dos processos produtivos. Esta forma de gerir é possível para empresas de qualquer porte, desde que haja planejamento.

Uma gestão sustentável requer adoção de iniciativas simples e que podem fazer grande diferença, a saber:

1. Inicie o processo internamente, com seus colaboradores: faça com que haja um sentimento de empoderamento da causa defendida. A adesão deste satores é importante para que a gestão sustentável se perpetue e seja encarada como um pacto;

2. Mapeie e avalie sua cadeia produtiva. Tente conhecer quem são seus fornecedores, de que forma suas atividades são conduzidas e se há similaridade entre os valores e compromissos com o meio ambiente defendidos internamente em sua empresa;

3. Promova a eficiência econômica das atividades por meio de programas para redução de perdas e desperdício;

4. Promova o uso racional dos recursos (papel, água, matérias-primas, etc), garantindo também maior eficiência econômica;

5. Reduza os resíduos oriundos da atividade;

6. Dê a destinação correta aos resíduos que não podem ser minimizados - priorizando a inclusão de pessoas da localidade nestas funções e gerando renda;

7. Respeite a legislação ambiental em vigor;

8. Trabalhe com margens que permitam o investimento constante em inovações e em treinamentos;

9. Procure linhas de financiamento que são específicas para investimentos voltados à sustentabilidade;

10. Tenha em mente que mesmo no pós venda a responsabilidade dos resíduos também é da empresa. A melhor opção neste caso seria aquela em que os próprios resíduos pós-consumo passam a ser utilizados como matéria prima para confecção de novas mercadorias;

11. Mantenha canais estreitos de relacionamento com seus clientes para permitir que os resultados dessas ações sejam amplamente divulgadas e para que estes se sintam também responsáveis pelas estratégias adotadas.

Enfim, as empresas devem se esforçar para, cada vez mais, incorporarem a sustentabilidade em suas atividades. Os resultados vão muito além da publicidade em torno das ações sustentáveis e ainda podem resultar em redução de custos, aumento de competitividade no mercado e promoção no desenvolvimento da sociedade.

O que se tem dito sobre o assunto ......
Bob Willard foi Presidente da IBM e publicou recentemente um livro chamado THE SUSTAINABILITY ADVANTAGE. Ele afirma que empresas de qualquer porte podem auferir lucro entre 38 a 66% maior no médio prazo ao adotarem a sustentabilidade em suas práticas.

FONTE: Informativo Empresarial ECONOMIX, Fecomercio SP, abril/2011

voltar